Habitação Arquivo

  • Na sequência do assassinato de agentes de segurança na Cova da Moura, que ocorreu em Julho de 2005, o Governo, como forma de atenuar a preocupação e a indignação que, naturalmente, se fez sentir nas populações, decidiu avançar (Resolução do Conselho de Ministros 143/2005, de 2 de Agosto) com a iniciativa “Operações de Qualificação e Reinserção Urbana de Bairros Críticos”, centrada em 3 bairros de outros tantos Municípios: Cova da Moura (Amadora), Vale da Amoreira (Moita) e Lagarteiro (Porto).

 

Na sequência dessa decisão, foram realizados estudos de diagnóstico da situação nestes Bairros e definidos planos de acção que foram apresentados, com pompa e circunstância, numa iniciativa que se realizou em Lisboa, no dia 2 de Outubro de 2006, com a presença do Primeiro-ministro e de 6 Ministros e Secretários de Estado.

    O Projecto “Bairros Críticos” e o Bairro do Lagarteiro: “A montanha pariu um rato”

    Na sequência do assassinato de agentes de segurança na Cova da Moura, que ocorreu em Julho de 2005, o Governo, como forma de atenuar a preocupação e a indignação que, naturalmente, se fez sentir nas populações, decidiu avançar (Resolução do Conselho de Ministros 143/2005, de 2 de Agosto) com a iniciativa “Operações de Qualificação e Reinserção Urbana de Bairros Críticos”, centrada em 3 bairros de outros tantos Municípios: Cova da Moura (Amadora), Vale da Amoreira (Moita) e Lagarteiro (Porto). Na sequência dessa decisão, foram realizados estudos de diagnóstico da situação nestes Bairros e definidos planos de acção que foram apresentados, com pompa e circunstância, numa iniciativa que se realizou em Lisboa, no dia 2 de Outubro de 2006, com a presença do Primeiro-ministro e de 6 Ministros e Secretários de Estado.

    Continuar a Ler...

  • em 2001 no âmbito do Plano Especial de Realojamento (PER), a obra de construção dos conjuntos habitacionais das Fontaínhas e da Lapa está concluída há mais de dois meses. No entanto a Câmara Municipal do Porto ainda não iniciou nenhum processo no sentido de vir a curto prazo a atribuir as casas a novos residentes. São assim 87 fogos novos que continuam devolutos numa cidade em que existem carências gritantes no âmbito da habitação e numerosas famílias a viverem em condições insalubres e degradantes.

    Casas do PER das Fontaínhas continuam devolutas há mais de 6 meses

    em 2001 no âmbito do Plano Especial de Realojamento (PER), a obra de construção dos conjuntos habitacionais das Fontaínhas e da Lapa está concluída há mais de dois meses. No entanto a Câmara Municipal do Porto ainda não iniciou nenhum processo no sentido de vir a curto prazo a atribuir as casas a novos residentes. São assim 87 fogos novos que continuam devolutos numa cidade em que existem carências gritantes no âmbito da habitação e numerosas famílias a viverem em condições insalubres e degradantes.

    Continuar a Ler...