Inaceitável atraso do pagamento de salários na União de Freguesias de Cedofeita, Santo Ildefonso, Sé, Miragaia, São Nicolau e Vitória (Porto)

A Junta de Freguesia não pagou a tempo e horas os salários de Fevereiro aos seus funcionários: só lhes pagou metade já no início do presente mês de Março e […]

A Junta de Freguesia não pagou a tempo e horas os salários de Fevereiro aos seus funcionários: só lhes pagou metade já no início do presente mês de Março e ainda não procedeu ao pagamento do restante!

O que é frontalmente condenado pela CDU, quer por uma questão de princípio – já bastam os baixos salários, quanto mais o adiamento e/ou fraccionamento do seu pagamento – quer pelas seguintes razões principais: A falta de liquidez da Junta nunca poderá ser justificada de forma séria com alegados atrasos, verificados este ano, nas transferências vindas da CMP, quanto mais não seja porque a data prevista para a efetivação das mesmas não é muito diferente da verificada em anos anteriores, já com António Fonseca como presidente da Junta de Freguesia;

Nem poderá ser atribuída ao esforço financeiro feito mensalmente pela autarquia para pagamento de dívidas a terceiros vindas de mandatos anteriores – dívidas estas (à CGA e à ADSE) que, nunca é de mais recordar, serão imputáveis a executivos PSD/CDS – já que tais compromissos foram negociados e então aceites por António Fonseca no seu mandato anterior e, portanto, já são do seu conhecimento há muito tempo;

Que se saiba, até ao final do ano de 2017 nunca faltou dinheiro na Junta de Freguesia para a realização de iniciativas com forte cariz promocional da figura do seu presidente;

O que mostra que só dificuldades de tesouraria poderão estar na origem deste condenável episódio de atraso no pagamento de salários numa das mais importantes Juntas de Freguesia da cidade do Porto, o que é muito grave e configura um mau planeamento financeiro por parte do atual executivo de António Fonseca-Rui Moreira/CDS.

Perante tudo isto:

A CDU denuncia publicamente esta grave situação, classificando-a como facto inadmissível e politicamente condenável.

Mais, a CDU exige ao executivo da Junta de Freguesia como primeiro responsável, mas também ao Movimento/Partido que o suportam politicamente (Rui Moreira/CDS) e, até, às demais forças políticas representadas na Assembleia de Freguesia, um sério e redobrado empenho conducente ao imediato pagamento da parte dos salários de Fevereiro em atraso.

A todos os funcionários da Junta de Freguesia, alguns dos quais já se encontram seguramente em situação aflitiva, apesar de dia-a-dia terem cumprido as suas funções com zelo, a CDU manifesta-lhes publicamente a sua solidariedade e apoio político nas acções que, entretanto, vierem a desenvolver no sentido da reposição deste seu direito laboral.

A CDU – Coligação Democrática Unitária / Porto

Porto, 12 de Março de 2018

Print Friendly, PDF & Email
Share

Sobre PCP Cidade Porto