CDU recusa-se a colaborar em ilegalidades vividas na União de Freguesias

CDU recusa-se a colaborar em ilegalidades vividas na União de Freguesias de Cedofeita, Santo Ildefonso, Sé, Miragaia, São Nicolau e Vitória Na reunião de ontem da Assembleia da União de […]

CDU recusa-se a colaborar em ilegalidades vividas na União de Freguesias de Cedofeita, Santo Ildefonso, Sé, Miragaia, São Nicolau e Vitória

Na reunião de ontem da Assembleia da União de Freguesias de Cedofeita, Santo Ildefonso, Sé, Miragaia, São Nicolau e Vitória, os eleitos da CDU – Coligação Democrática Unitária recusaram-se a discutir e votar o Relatório de Atividades e Conta de Gerência 2014.

Tal recusa teve por base uma série de atropelos legais, levados a cabo pelo executivo da Junta de Freguesia com a conivência do presidente da Assembleia.

O que aconteceu:

  • Obrigando a lei que o Relatório e Contas sejam entregues aos membros da Assembleia de Freguesia com a antecedência mínima de 2 dias, alguns deles só acabaram por ser disponibilizados já no início dos trabalhos, não dando assim hipóteses para a sua análise cuidada!

  • Isto depois de uma primeira versão do Relatório e Contas ter sido disponibilizada sem paginação e sem a necessária assinatura de qualquer membro do executivo, presidente e tesoureiro incluídos (!), apesar da sua entrega aos membros da Assembleia ter ocorrido 3 semanas depois da sua alegada aprovação em reunião pública da Junta de Freguesia (31/03/2015)…

  • E sem esquecer que, ao arrepio das reclamações feitas pelos eleitos da CDU e das soluções alternativas apresentadas, o PS forçou a que se iniciasse mesmo assim a discussão dos mencionados documentos já muito para além da meia-noite…

  • No que contou com a conivência do presidente da Assembleia, que usou para o efeito o seu voto de desempate na decisão de suspender ou não os trabalhos da mesma.

Perante tudo isto, os eleitos da CDU recusaram-se a participar no que consideram ser mais uma ilegalidade flagrante, abandonando a reunião. No que foram acompanhados pelos eleitos do PSD e do BE.

Este grave incidente vem demonstrar que a “paz-podre” que se vem vivendo no seio do Executivo da Junta de Freguesia não é um facto isolado: também na Assembleia se vão sucedendo as irregularidades, os desleixos e as ineficiências.

Este incidente mostra a justeza da exigência já formulada pela CDU para que a coligação Rui Moreira/CDS/PS que suporta aqueles órgãos autárquicos de uma das mais importantes autarquias da cidade do Porto, tome de facto as medidas necessárias ao rápido saneamento da situação que criaram e que têm vindo a sustentar.

A população da União de Freguesias enfrenta diariamente graves problemas cuja análise e solução têm vindo a ser colocadas em segundo plano por toda esta série de trapalhadas perfeitamente evitáveis. O que é inadmissível para a CDU!

Porto, 29 de abril de 2015

A CDU – Coligação Democrática Unitária / Cidade do Porto

Print Friendly, PDF & Email
Share

Sobre PCP Cidade Porto