Ribeira da Granja suja e, degradada e abandonada

Neste domingo, dia 13 de Julho, o vereador da CDU na Câmara Municipal do Porto, acompanhado de outros eleitos da CDU na -assembleia Municipal e na freguesia de Ramalde, realizou […]

Neste domingo, dia 13 de Julho, o vereador da CDU na Câmara Municipal do Porto, acompanhado de outros eleitos da CDU na -assembleia Municipal e na freguesia de Ramalde, realizou uma visita ao troço da Ribeira da Granja que passa entre a Quinta do Rio e a Cidade Cooperativa da Prelada.

Este curso de água, que é o último afluente da margem direita do Douro e uma das maiores ribeiras em território urbano do Porto, tem na sua génese a união de dois pequenos cursos de água, que a partir do lugar da Quinta do Rio, em Ramalde, originam este curso de água que desagua no Rio Douro, junto ao Largo do Calém. Entubada em diversos troços e correndo a céu aberto noutros, aRibeira da Granja possui alguns troços de alguma beleza, como na cascata junto ao Bairro Pinheiro Torres, e outros que apresentam sinais de grande degradação, poluição e abandono.

Em 7 de Outubro de 2003, quando o então vereador da CDU, Rui Sá, era responsável do Pelouro do Ambiente, foi aprovado pelo Executivo Camarário, o estudo preliminar «Estratégia de Valorização do Vale da Ribeira da Granja» que previa um plano de intervenções de reabilitação deste curso de água. Desde então foram sendo efectuadas algumas intervenções pontuais ao longo deste percurso.

No entanto, conforme a visita da CDU pode constatar este programa foi sendo abandonado e não existe uma intervenção de manutenção e conservação das áreas anteriormente intervencionadas. A ausência de limpeza regular da vegetação das áreas envolventes torna esta zona num matagal perigoso, com caminhos pedonais intransitáveis. Alguns dos equipamentos existentes, como bancos e papeleiras apresentam-se também em avançado estado de degradação. Como resultado das cheias de inverno as margens e o leito da ribeira continuam com bastante lixo, necessitando duma limpeza mais profunda.

A situação actual da Ribeira da Granja mostra que fazer intervenções pontuais sem um plano coerente de conservação e manutenção permanente não traz resultados positivos para o ambiente.

O vereador da CDU na Câmara Municipal do Porto, Pedro Carvalho, disse que tenciona levar à próxima reunião do Executivo a situação da zona da ribeira da Granja, em Ramalde, que considera estar “claramente ao abandono”. “Há aqui uma dificuldade, porque não é só a questão de reabilitar os espaços que é necessária. É como é que depois lhes damos vida”, explicou o vereador comunista, referindo-se à segunda fase do projecto de reabilitação da ribeira, no troço da Quinta do Rio, que terá tido um custo de 312 mil euros. Pedro Carvalho sublinhou que sem uma programação adequada acompanhada da criação de condições como iluminação ou, por exemplo, a definição de pequenas hortas, gera-se um “círculo vicioso”. Desta forma, o vereador da CDU realçou a importância de espaços como aquele serem “vistos numa lógica muito mais vasta”

Print Friendly, PDF & Email
Share

Sobre PCP Cidade Porto