Arquivo de Novembro, 2009

  • O PCP, através do Deputado à Assembleia da República Honório Novo, confrontou o Governo com a situação de falta de médicos de família existente no Centro de Saúde de Campanhã, assim como com as consequências da recente deslocação forçada de quinhentos utentes da extensão do Ilhéu para extensão de Azevedo perdendo o médico de família e sem no processo terem sido consultados.
Os factos acima descritos têm causado inúmeros transtornos e a legitima indignação dos utentes prejudicados.

    PCP questiona governo sobre a situação do Centro de Saúde de Campanhã

    O PCP, através do Deputado à Assembleia da República Honório Novo, confrontou o Governo com a situação de falta de médicos de família existente no Centro de Saúde de Campanhã, assim como com as consequências da recente deslocação forçada de quinhentos utentes da extensão do Ilhéu para extensão de Azevedo perdendo o médico de família e sem no processo terem sido consultados. Os factos acima descritos têm causado inúmeros transtornos e a legitima indignação dos utentes prejudicados.

    Continuar a Ler...

  • A Lei no 24/98, de 26 de Maio, que aprova o Estatuto do Direito de Oposição, estabelece, no seu Artigo 5o - Direito de Consulta Prévia, no 3, que “os partidos politicos representados nos orgãos deliberativos das autarquias locais e que não facam parte dos correspondentes orgãos executivos, ou que neles não assumam pelouros, poderes delegados ou outras formas de responsabilidade directa e imediata pelo exercício de funções executivas, têm o direito de ser ouvidos sobre as propostas dos respectivos orçamentos e planos de actividade”.
Desse modo, a CDU tem vindo, nos ultimos anos, a solicitar, com espirito construtivo, o exercicio desse seu direito no Município do Porto.
Em 2008, o Presidente da Camara Municipal do Porto negou esse direito...[Ler+]

    Rui Rio não dignifica o Estatuto do Direito de Oposição que aprovou enquanto deputado na Assembleia da República

    A Lei no 24/98, de 26 de Maio, que aprova o Estatuto do Direito de Oposição, estabelece, no seu Artigo 5o - Direito de Consulta Prévia, no 3, que “os partidos politicos representados nos orgãos deliberativos das autarquias locais e que não facam parte dos correspondentes orgãos executivos, ou que neles não assumam pelouros, poderes delegados ou outras formas de responsabilidade directa e imediata pelo exercício de funções executivas, têm o direito de ser ouvidos sobre as propostas dos respectivos orçamentos e planos de actividade”. Desse modo, a CDU tem vindo, nos ultimos anos, a solicitar, com espirito construtivo, o exercicio desse seu direito no Município do Porto. Em 2008, o Presidente da Camara Municipal do Porto negou esse direito...[Ler+]

    Continuar a Ler...

  • Centenas de trabalhadores da CMP têm vindo a ser notificados de que, devido a infracções cometidas na assiduidade de 2008, lhes vão ser subtraídos no vencimento do Mês de Novembro e seguintes, consoante os casos, os valores correspondentes às mesmas, que vão de 20 a 500 euros.
Esta acção extemporânea, decidida de forma arbitrária sem que previamente tenha sido sequer informado ou discutido com cada um dos trabalhadores visados, para confirmar ou não a veracidade das infracções cometidas, é absolutamente reprovável, tendo gerado justamente a revolta e indignação, confirmando que a maioria camarária PSD/CDS e Rui Rio vão prosseguir e agravar as políticas erradas conduzidas em relação aos trabalhadores municipais. [Ler+...]

    Injustiça (mais uma) contra os trabalhadores municipais

    Centenas de trabalhadores da CMP têm vindo a ser notificados de que, devido a infracções cometidas na assiduidade de 2008, lhes vão ser subtraídos no vencimento do Mês de Novembro e seguintes, consoante os casos, os valores correspondentes às mesmas, que vão de 20 a 500 euros. Esta acção extemporânea, decidida de forma arbitrária sem que previamente tenha sido sequer informado ou discutido com cada um dos trabalhadores visados, para confirmar ou não a veracidade das infracções cometidas, é absolutamente reprovável, tendo gerado justamente a revolta e indignação, confirmando que a maioria camarária PSD/CDS e Rui Rio vão prosseguir e agravar as políticas erradas conduzidas em relação aos trabalhadores municipais. [Ler+...]

    Continuar a Ler...

  • O espaço junto ao rio Douro em Lordelo tem potencialidades para ser um dos mais agradáveis espaços de lazer do Porto. No entanto, dado o abandono e o desinteresse da autarquia, este espaço tem vindo a degradar-se e a perder as grandes potencialidades para a dinamização do Turismo e da Qualidade de Vida dos seus habitantes. Para se inteirar desta situação o Vereador da CDU Rui Sá, acompanhado por eleitos da CDU na Junta de Freguesia de Lordelo do Ouro visitaram esta frente ribeirinha.[Ler+...]

    Requalificar a Frente Ribeirinha de Lordelo

    O espaço junto ao rio Douro em Lordelo tem potencialidades para ser um dos mais agradáveis espaços de lazer do Porto. No entanto, dado o abandono e o desinteresse da autarquia, este espaço tem vindo a degradar-se e a perder as grandes potencialidades para a dinamização do Turismo e da Qualidade de Vida dos seus habitantes. Para se inteirar desta situação o Vereador da CDU Rui Sá, acompanhado por eleitos da CDU na Junta de Freguesia de Lordelo do Ouro visitaram esta frente ribeirinha.[Ler+...]

    Continuar a Ler...

  • A CDU considera que a demolição das torres do Aleixo é necessária para melhorar a qualidade de vida dos seus moradores e para ajudar a combater o flagelo do tráfico e consumo de droga que hoje se manifesta no bairro. Mas considera, também, que essa demolição deve ser precedida pela possibilidade de realojamento imediato noutros bairros das famílias que o pretenderem, seguido da construção, nos terrenos do bairro, de uma nova urbanização, com características físicas completamente diferentes (edifícios baixos, com diversas entradas e com um menor número de habitações), que permita o realojamento das famílias que pretenderem continuar a viver no local.
Desse modo, a discordância da CDU com o projecto de Rui Rio e da coligação PSD/CDS (e que mereceu o apoio do PS aquando da sua votação na Câmara) deriva do facto de a CDU considerar que esse projecto corporiza uma doutrina de “apartheid” social, onde as famílias carenciadas não têm direito a viver em terrenos com vistas para o Douro, privilégio que Rui Rio considera como exclusivo das famílias com posses económicas.

    Posição da CDU sobre o projecto de Rui Rio para o Bairro do Aleixo

    A CDU considera que a demolição das torres do Aleixo é necessária para melhorar a qualidade de vida dos seus moradores e para ajudar a combater o flagelo do tráfico e consumo de droga que hoje se manifesta no bairro. Mas considera, também, que essa demolição deve ser precedida pela possibilidade de realojamento imediato noutros bairros das famílias que o pretenderem, seguido da construção, nos terrenos do bairro, de uma nova urbanização, com características físicas completamente diferentes (edifícios baixos, com diversas entradas e com um menor número de habitações), que permita o realojamento das famílias que pretenderem continuar a viver no local. Desse modo, a discordância da CDU com o projecto de Rui Rio e da coligação PSD/CDS (e que mereceu o apoio do PS aquando da sua votação na Câmara) deriva do facto de a CDU considerar que esse projecto corporiza uma doutrina de “apartheid” social, onde as famílias carenciadas não têm direito a viver em terrenos com vistas para o Douro, privilégio que Rui Rio considera como exclusivo das famílias com posses económicas.

    Continuar a Ler...

  • A Câmara estabelece um protocolo para limpar uma freguesia com uma associação cujo Presidente é, dias depois, apresentado como candidato a Presidente dessa mesma Junta pela coligação PSD/CDS. Essa mesma associação subcontrata uma empresa privada cujo sócio gerente é outro candidato da coligação PSD/CDS à mesma Assembleia de Freguesia [Ler+...]

    Crónicas da Rádio – A opinião de Rui Sá

    A Câmara estabelece um protocolo para limpar uma freguesia com uma associação cujo Presidente é, dias depois, apresentado como candidato a Presidente dessa mesma Junta pela coligação PSD/CDS. Essa mesma associação subcontrata uma empresa privada cujo sócio gerente é outro candidato da coligação PSD/CDS à mesma Assembleia de Freguesia [Ler+...]

    Continuar a Ler...